Projetos > Desenvolvimento Celular

Neste projeto buscamos produzir as proteínas Activina e FSH para uso em processo de desenvolvimento folicular, transferência de embriões e fertilização in vitro. Em parceria com o Centro de Desenvolvimento de Modelos Experimentais para Medicina e Biologia - CEDEME - da Universidade Federal de São Paulo, buscamos a produção dessas proteínas no leite de coelhos geneticamente modificados. Com relação a Activina, obtivemos clone de levedura capaz de produzir a proteína, que foi testada com relação a capacidade de induzir o processo de amadurecimento folicular em ratas. Foi realizado o teste com injeção da proteína, em ratas Wistar no estágio da peripuberdade, por três dias, e após este período a massa corporal e do ovário foram determinadas. Foram estabelecidos 7 grupos de animais, nos quais foram injetadas doses da proteína recombinante bruta que variaram de 25 a 50 µg por dia por animal e doses de 1, 0,5 e 0,1 µg da proteína purificada. A figura abaixo mostra os resultados obtidos com a maior dose de proteína bruta, 50 µg (figura A) e com a menor dose da proteína purificada, 0,1 µg (figura B). Por esta figura podemos observar que os resultados obtidos com a dose de 0,1 µg da proteína purificada foram semelhantes aos obtidos com a maior dose da proteína bruta (0,038 ± 0,0018 vs 0,043 ± 0,0013).


Comparação entre o efeito obtido com a maior dose (50 µg) da proteína recombinante bruta (A) e da menor dose (0,1 µg) da proteína purificada (B), sobre o peso dos ovários de ratas Wistar.
rACT = activina recombinante, Sal = salina.

Quando se compara a massa relativa de ambos ovários tratados com a massa relativa dos respectivos controles, observamos aumento da massa do ovário tratado. O peso elevado dos ovários foi evidenciado em todos os grupos tratados. Sabendo que a activina A estimula o desenvolvimento e crescimentos dos folículos ovarianos, o peso elevado dos ovários tratados com rACT fornece evidências de que a proteína está biologicamente ativa. Amostras de alguns ovários provenientes das ratas tratadas foram submetidas à análise histológica.

A figura abaixo mostra a fotografia de dois cortes histológicos de ovários obtidos do grupo tratado com 50 µg da proteína bruta por dia por animal (figura A) e do respectivo grupo controle, tratado com salina (figura B). Sabendo que a activina A induz folículos ovarianos ao rápido crescimento, desenvolvimento e ovulação prematura, pode-se observar que a atividade biológica da proteína foi mais uma vez confirmada.


Fotografia de corte histológico de ovário de rata tratada com a proteína recombinante bruta
na dose 50 µg por dia (A) ou com salina (B).
CL = corpo lúteo.

Como se pode observar na figura, no grupo tratado com salina aparecem diversos folículos em desenvolvimento, enquanto que no grupo tratado com a proteína recombinante observamos a presença de corpos lúteos, indicando que já ocorreu ovulação destes folículos, mostrando que a proteína recombinante apresenta capacidade de interferir no amadurecimento folicular mesmo quando administrada em doses relativamente pequenas, submicromolar.

Este projeto é apoiado por:

-
Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP (Agência Brasileira de Inovação)
Subvenção Econômica
   
- Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq
Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas – RHAE
   
- Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Programa Nacional de Pós Doutorado – PNPD



 

Diagnóstico e Tratamento de Câncer
Desenvolvimento Celular
Diagnóstico de Hipertensão e Lesão Renal
Reconstituição Óssea
Extração de Sílica de Palha de Arroz
Trombose

Rua Lauro Vannucci 1.020, Sala 22 - jardim Santa Cândida
CEP 13087-548, Campinas - SP, Telefone: 19 3307-3052

[email protected]